22/11/2016

Eu Sou o Mensageiro

||


Sinopse: Ed Kennedy leva uma vida medíocre, sem arroubos. Trabalha, joga cartas com cúmplices do tédio, apaixona-se por uma amiga que dorme com todos os vizinhos do subúrbio e divide apartamento com um cão velho. O pai alcoólatra morreu há pouco; a mãe parece desprezá-lo.
Certo dia, ele impede um assalto a banco e é celebrizado pela mídia. O ato heroico tem consequência. Logo depois, Ed recebe enigmáticas cartas de baralho pelo correio: uma sequência de ases de ouros, paus, espadas, copas, cada qual contendo uma série de endereços ou charadas a serem decifradas. Após certa hesitação, rende-se ao desafio. Misteriosamente levado ao encontro de pessoas em dificuldades, devassa dramas íntimos que podem ser resolvidos por ele. Uma mulher é estuprada diariamente pelo marido, enquanto uma senhora de 82 anos afoga-se em solidão, à espera do companheiro, morto há mais de meio século.
A ele parece caber o papel do eleito, do salvador. Convencido disso, segue instruções e se perde entre ficções de estranhos e sua própria, embaçada, realidade. A certa altura pergunta-se: "Eu sou real?" Markus Zusak cria um personagem comovente capaz de confrontar o mistério e, por meio da solidariedade, empreender um épico que o levará ao centro de sua própria existência.


É incrível como Zusak gosta de brincar com as certezas que temos, em A Menina que Roubava Livros ele brincou com a morte e aqui em Eu Sou o Mensageiro ele brinca com a vida, não somente com a vida dos personagens, mas como a vida de cada um pode mudar a do outro. 
Ed vira herói depois de um assalto no banco e passa ser reconhecido por onde passa, o que era bem difícil de acontecer antes, pois Ed era aquele cara invisível, um cara que não tinha muitas tarefas além de seu trabalho no táxi e jogar cartas com os amigos, e ter a companhia do seu cachorro fedorento PorteiroEd é um cara tranquilo e sem muitas perspectivas de mudança de vida e que ainda passa por uma friendzone sem fim com sua amiga Audrey.
Quando ele passa a receber as tais cartas de baralhos com determinados nomes e/ou endereços, sua vida vai mudando completamente, pois agora ele tem algo a que se agarrar, nem que seja a curiosidade de quem está fazendo aquilo. Ed começa a cumprir as missões uma a uma e isso pode ser tanto emocionante, como perigoso.

Neste livro, Zusak nos presenteia com um humor ácido, e reflexões sobre a vida quase que imperceptíveis durante a história. Não vemos clichês, mas a mudança dos personagens ao ponto que outro vai interferindo em suas vidas. Vemos histórias tocantes e também situações engraçadas.
O mistério que cerca as missoes do Ed, também é um ponto alto do livro, você acompanha o personagem tentando descobrir o próximo endereço, ou o que ele tem de fazer pra ajudar tal pessoa e na maioria das vezes são coisas que não imaginamos. Ainda por cima, temos em determinado momento,  a época natalina para aumentar a nostalgia e a emoção das cenas.

Me identifiquei demais com o Ed, com o seu incômodo sobre uma vida estagnada. É um personagem forte e determinado apesar de tudo. Inicialmente, a relação com seus amigos não me agradou tanto, pois pareciam personagens frívolos demais, mas ao longo da leitura pude reconhecer neles características que nem eles mesmos conheciam até então, que só fez enriquecer a história.

Entre risadas, questionamentos e sentimentos aflorados, Eu Sou o Mensageiro me conquistou e se tornou um dos meus livros favoritos.

14 comentários:

  1. Eu tenho esse livro aqui em casa e nunca li,acredita?!A sinopse me chamou muita atenção e também me chamou atenção, pois acho que esse personagem principal cresce muito na história, e isso é muito interessante.
    O final desse livro surpreende?!Também nunca li A Menina que Roubava Livros,achei muito chato até a página 50 e abandonei,mas o filme comecei a assistir e gostei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito rrs, eu mesma demorei horrores pra pegar pra ler.
      O outro livro do autor também não me agradou muito não.

      Excluir
  2. uma outra vertente do autor
    bacana, gostaria de ler e ver como ele criou seu enredo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca li nada desse autor, acredita? Mas sempre esteve nos meus desejados A menina que roubava livros, e depois de sua resenha, O mensageiro. Gostei bastante da premissa, achei curioso e fiquei com vontade de ler. A escrita do autor parece bem envolvente e fácil. Espero poder ler em breve a obra.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Nati.
    Apesar de sempre ter visto esse livro, acho que ele nunca recebeu tanta atenção quanto AMQRL né? Tanto que nunca tinha procurado saber do que esse livro se trata, mas agora que sei, fiquei curiosa com essa coisa das missões e gostaria de conhecer melhor o personagem. Que o autor é bom eu já sei então já é um ponto a mais pro livro :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, eu particularmente prefiro mil vezes esse do que AMQRL.

      Excluir
  5. Ahaa! Eu li esse livro e amei, amei. A história é incrível e super envolvente. Só que eu li o livro com a outra capa, e não essa. E também dei muitas risadas com o Ed. Muito boa a sua resenha.
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom achar alguém que gostou tanto do livro como eu!
      Beijo

      Excluir
  6. Oii, eu já li A Menina que roubava livros mas esse outro livro dele não chamou minha atençao. Esse não seria um livro que eu escolheria para ler, mas em vista do autor e de sau resenha, que está ótima, penso em dar uma chance para essa leitura. ;)
    Bjinhos

    ResponderExcluir
  7. Oi Nati, sua linda, tudo bem?
    Eu só vi o filme a menina que roubava livros e gostei muito. Fiquei curiosa sobre quem está por trás dessas cartas e dessas missões. Já vi que ele irá aprender alguma ou fará relevância na vida de alguém a cada missão. Vou colocar na lista, não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sejam bem-vindos e comentem a beça!

© Blog Ei Nati - 2016. Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Natália Rabelo - Ilustrações por: Pedro Figueiredo Ilustrador
Tecnologia do Blogger.