19/04/2018

As Maravilhas de Alice

||





Sabem aquela sensação boa de virar a noite lendo um livro e totalmente envolvida com a história? Eu havia esquecido como era e As Maravilhas de Alice me relembrou.

Nesse livro temos Alice e sua irmã perdendo tudo após o falecimento repentino de seu pai e tendo que se virarem para se manterem. Elas que eram fúteis, consumistas e só pensavam em vestidos e caras, terão uma vida muito diferente. A irmã resolveu ir pelo caminho que considerava mais fácil, usando da sedução com um homem mais velho, já Alice se recusou a ter que fazer isso e preferia lutar pra conquistar suas coisas, indo a luta de um emprego, um lugar pra morar e manter sua faculdade.


Alice consegue alugar um quartinho na residência de um casal muito bondoso e consegue emprego como secretária de um médico lindo e gente boa, o Roberto.

Já podem imaginar que daí surgiram várias situações engraçadas e divertidas e outras dramáticas também, afinal, quando as irmãs optaram por decisões e caminhos diferentes elas também acabaram meio que brigando e se distanciando.

Eu havia esquecido também, de porque amo tanto chick-lits, pois eles me levam a acompanhar histórias doces e leves e que geralmente trazem protagonistas cativantes.
Alice é uma dessas, que começou o livro sendo fútil e sem graça mas aos poucos foi mostrando uma força e determinação que nem ela mesmo sabia que tinha. Ela foi crescendo com as dificuldades e de uma forma bem natural o que tornou mais crível, apesar do motivo que a levou a perder tudo (algo digno de histórias de ficção e filmes de comédia romântica). Seu envolvimento com o par romântico também aconteceu naturalmente, sem forçação de barra. Ela se encantou e se apaixonou por ele e ele depois de uma confusão acabou percebendo que também sentia o mesmo por ela.

A escrita da autora é bem fluida e nos faz querer ler tudo de uma vez só. A história é super envolvente. 

Contudo, há também os pontos negativos, que pra mim fica todo focado na personagem da irmã. A escolha que ela fez no início do livro não parecia ser da mesma personagem que havia se mostrado antes do pai morrer e ao longo da história todas as suas atitudes e até mesmo seu envolvimento com um certo personagem pareceu muito raso e fora de tom. Foi uma personagem que definitivamente não me agradou. Outro momento fraco, foi quando o par de Alice, simplesmente do nada, dá um certo chilique e isso também foi totalmente sem propósito e não condizia com as características do personagem.

Mas em todo o resto, o livro me divertiu, me entreteve, me encantou e me fez torcer por Alice e suas maravilhas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sejam bem-vindos e comentem a beça!

© Blog Ei Nati - 2016. Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Natália Rabelo - Ilustrações por: Pedro Figueiredo Ilustrador
Tecnologia do Blogger.