03/07/2017

Jogador n°1 - Ernest Cline

||



Num mundo distópico, onde as coisas não são mais como se conhece hoje, e a maioria das pessoas vive imersa em uma realidade alternativa chamada OASIS. Esse programa, sistema, ou como queiram chamar, é criado por James Halliday, grande nerd e conhecedor de tecnologia e games. Antes de seu falecimento, Halliday deixa um impressionante testamento onde o herdeiro só poderá ficar com a herança se conseguir encontrar os ester-eggs escondidos por ele dentro da OASIS. Com isso, após sua morte, pessoas do mundo inteiro passam anos disputando entre si e caçando esses ester-eggs, o que são praticamente impossíveis de achar. Pessoas se unem a grupos específicos, outros trabalham sozinhos, tentando encontrar e decifrar as pistas deixadas por Halliday.
Um desses que trabalha sozinho é o jovem Wade, que apesar de pobre e solitário, em OASIS ele pode ser quem quiser dentro das possibilidades financeiras. Além dele também tem Art3mis, uma jovem muito inteligente que tem um blog geek bem conhecido e que é uma das que mais se destaca na busca pelo tesouro. 
Em OASIS você pode ter qualquer aparência, qualquer nome e pode trabalhar e estudar, acumulando riquezas, como se fosse mesmo uma vida real. Na verdade, pras pessoas nessa época, OASIS é a vida real.

Wade, Art3mis e outros personagens vão disputar entre si e buscar desvendar as pistas o mais rápido possível pra encontrar o tesouro do Halliday.





Basicamente a história é essa, uma busca incessante, uma caça ao tesouro bem inteligente. E vocês me perguntam, porque o livro é tão bom? E vos digo, referências meus amigos, referências! Ernest Cline nos presenteia com uma referência atrás da outra dos anos 80 e até anos 70 e 90, principalmente do mundo dos games. São vários jogos e filmes que permeiam as páginas de Jogador n°1, muitas eu nem consegui acompanhar, mas isso não atrapalhou em nada a delícia que foi fazer essa leitura. O bom é que essas referências não são simplesmente jogadas só pra estarem ali, mas são citadas em conversas dos personagens, ou em alguma pista do jogo, todas elas tem uma razão de existir e um bom pano de fundo.

Tudo é focado na caça aos ester-eggs, então a realidade de como o mundo distópico se encontra é deixado um pouco de lado, mas sinceramente isso não me fez falta em nada. O ritmo é agitado, daqueles que te prendem e te contagiam, ainda mais por te transportar pra outras décadas, décadas que nem os próprios personagens haviam vivido. É interessante ver, que por conta do jogo, eles acabam se afeiçoando a tantos filmes e jogos dos anos 80 e conhecendo tanto também, as vezes até mais de quem viveu nesse período. Um ponto fraco apenas, é que achei que os personagens principais não foram tão bem construídos e explorados, seus sentimentos poderiam ter sido mais utilizados.

Para quem é fã de Matrix, esse livro é um prato cheio, já que OASIS é bem semelhante ao que se tem em Matrix, a nível de realidade alternativa, a diferença aqui é que as pessoas acessam porque gostam e estão conscientes disso.

Terminei a leitura com meu coração cheio de nostalgia e aconchego, o que me rendeu um bom período de ressaca literária. Para quem curte uma boa aventura, e se transportar a boas referências nerds do passado, Jogador n°1 é mais do que recomendado.



Já leram esse livro? O que acharam?
Uma notícia sobre Jogador n° 1 é que irá ter uma adaptação dirigida por Steven Spielberg. Não é massa?




4 comentários:

  1. oi Nati, que legal que o livro te arrebatou dessa forma! não creio que leria, pois não tive aquela quimica com o enredo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nati, tudo bem?
    Já adicionei o livro a minha lista de desejados. Adorei a proposta e achei bem bacana as referências, mas não sei se saberia já que eu nem era nascida na época hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Já faz um tempo que quero ler esse livro. A premissa dele é muito interessante e tem referências ótimas <3
    Dica super anotada (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nati, não conhecia este livro mas que história eletrizante, parece aquela que você tem que prender o fôlego em algumas partes se não a agitação toma conta de você. Todo esse contexto tecnológico e geek me atraiu bastante, e com certeza irei procurar o livro e quem sabe comprá-lo (ta difícil comprar uma balinha nessa crise imagina um livro kk).
    E posso dizer que fiquei curiosa sobre quem vai achar todos os ester-eggs.

    ResponderExcluir

Sejam bem-vindos e comentem a beça!

© Blog Ei Nati - 2016. Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Natália Rabelo - Ilustrações por: Pedro Figueiredo Ilustrador
Tecnologia do Blogger.