30/08/2018

O que podemos aprender com Michael Jackson

||


Com uma carreira de sucesso, mas uma vida um pouco mais sofrida, o Rei do Pop nos ensinou muita coisa e mesmo depois de sua morte continua nos ensinando. Seja através de suas músicas ou através de si como pessoa. E é sobre isso o post de hoje. Quero falar de 3 coisas que aprendemos com Michael Jackson.


Situações ruins nos fazem evoluir

Muitas vezes me questiono se eu voltasse atrás no tempo teria feito algo de diferente na minha vida, mas paro e penso que tudo que eu vivi resultou em quem eu sou hoje. Se não fosse vários momentos bem complicados que passei, talvez não tenha me tornado a Natália de agora. Sabemos que Michael não teve uma vida fácil e isso se dá principalmente por conta de seu pai Joe. Apesar de eu detestar Joe Jackson, tenho de concordar com Nelson George que escreveu Thriller a vida e obra de Michael Jackson, apesar de Joe ter sido exageradamente grosseiro e duro com seus filhos, foi justamente por isso que iniciou-se a carreira deles tão cedo. Michael poderia ter se tornado o astro sem o pai? É provável que sim, mas ele exigindo tanto dos filhos, tornou Michael ainda mais perfeccionista e dentro do meio da música bem novo. 
Deixando novamente claro, não gosto do pai dele, não gosto de como ele tratava os filhos, não gosto do que ele fez com o psicológico do pequeno Michael, mas de uma maneira bem torta isso acabou contribuindo pro brilhantismo do artista.


Seja gentil e tenha empatia

Já dizia o velho sábio livro Extraordinário, " se tiver de escolher entre ser gentil e ter razão, escolha ser gentil". Michael falava de amor, ele pregava o amor, era isso que ele sempre espalhava com a maioria de suas canções, com seus projetos sociais, com seu contato com as crianças. Ele tinha um enorme amor pelo mundo e pelas crianças. Dizia que se por acaso não houvesse mais crianças no mundo, ele preferia não viver. Era isso que ele nos ensinava, sermos gentis e termos empatia. Foi assim no projeto USA for Africa  e em vários outros. Sua vida cercada de mentiras de aproveitadores e sensacionalistas nos ensina também a termos empatia, a não julgar o outro sem conhecer sua história. Michael sofreu muito com as denúncias que foram feitas contra ele, durante os processos ele se enfraquecia e sentia ainda mais dor e se afundava ainda mais nos analgésicos. Muitos não foram gentis com ele, infelizmente, mas ele nos deixa um legado cheio de amor e carinho.




Queira ser a melhor versão de si

Michael era um perfeccionista. Não que ter essa característica seja 100% bom porque pode vir atrelado a uma auto cobrança exacerbada e isso não é legal. Mas a questão é que ele sempre queria melhorar, ele se dedicava, se esforçava, para ser cada vez melhor que ele já havia sido. Foi assim com o álbum Thriller, ele queria que as pessoas o amassem, mas acima disso queria fazer um disco ainda melhor que o anterior Off the Wall (que tinha sido um sucesso absurdo). No filme This is it vemos o quanto Michael se dedicava nos ensaios para que tudo fosse perfeito. Muitas vezes nós, meros mortais, desistimos rápidos demais (eu sou assim e tenho tentado mudar). Muitos não se esforçam, mesmo conseguindo fazê-lo. Parece que o empenho para conquistar um objetivo está cada vez mais raro. Não temos que querer ser melhor que ninguém, mas temos de querer ser a melhor versão de nós. Isso se chama amadurecimento e evolução.

Aguardo vocês aqui nos comentários




Um comentário:

  1. Concordo plenamente :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Blog Ei Nati - 2016. Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Natália Rabelo - Ilustrações por: Pedro Figueiredo Ilustrador
Tecnologia do Blogger.